sexta-feira, 20 de junho de 2008

Fantasmas Imperfeitos

Ela estava finalmente se divertindo.em algum lugar, qualquer lugar, mas com as pessoas que ela amava.
O relógio não parava e suas risadas também não. Era o dia perfeito.
Até o momento em que ela olha para o relógio e vê os ponteiros se aproximando cada vez mais da hora marcada para o fim de seus pensamentos otimistas.
Ela se despediu dos amigos e retornou sozinha para aquela casa em que ela somente enxerga sentimentos sombrios misturados com a dor do descaso.
Ela andava pela calçada com passos cada vez mais largos. O dia passou a ser noite.
Ela ouviu passos que seguiam seus pés errôneos e sentiu medo começando a andar ainda mais rápido.Mas aqueles passos pareciam procurá-la.
Ela se virou e viu aqueles fantasmas do passado que a lembravam dos tempos tristes, dos sorrisos controversos e das lágrimas velozes.
Ela sentiu uma brisa noturna tocar gentilmente sua face marcada pelas lágrimas. Ela tentou correr, mas os fantasmas eram mais rápidos.
Enfim, ela chegou em sua casa e assim que abriu a porta viu aqueles olhos odiosos que procuravam algum argumento para acusá-la de algo onde era inocente.
Eles a acusaram de ser diferente e não ter seguido as condições propostas pela sociedade preconceituosa. Ela começou a se lamentar por não ser perfeita, mas foi em vão a justificativa de que a perfeição não existe.A perfeição não passa de um quadro abstrato que nem todos gostam, mas mesmo assim o seguem, interpretando-o cada mente de uma forma diferente.
Ela sentiu na carne a dor da injustiça e subiu ao seu quarto, em busca de pensamentos que pudessem confortá-la, já que não havia ninguém para falar com ela, a não ser aqueles fantasmas imperfeitos.

14 comentários:

Felithy disse...

poxa,adorei o texto e a simplicidade.para completar o texto eu acho que todos somos fasntasmas imperfeitos

Carolina disse...

Acho que todos nós temos fantasmas: sombras do que a gente queria ser é não é; sombra do que querem que a gente seja e não somos; as combranças pessoais; a insegurança. E isso é uma constante. São coisas com as quais a gente tem que aprender a conviver porque o ser humano está sempre buscando alguma coisa que não tem.

Luii disse...

bizarro .-.

mas com fundamentos .-.

Daniel Augusto disse...

orra...


conceitual...


muito bons seus conceitos sobre o tal dito da perfeição e sobre os fantasmas que o passado ainda trás consigo...

muito bom mesmo...

gostei litros*

bye


http://www.causagendi.blogspot.com/

Daniel Augusto disse...

não só interessado como já comentei...

^^"

Sumitsu disse...

Poxa, podemos até escrever coisas parecidas.
Mas infelizmente naum tenhu tanto talento para escrever como vc tem.
;)
Bjos



http://www.pekenoprincipee.blogspot.com/

Daniel Augusto disse...

da cor que vc quiser querida...


^^"

rick galdino disse...

Esses fantasmas dão á ela bons conselhos??

Eles são os únicos amigos dela??



Topa parceria?

www.rick-galdino.blogspot.com

Giovanna. disse...

muito legal o texto,
perfeição não existe e nunca vai existir, isso é fato :x




http://sorrisosdeplasticos.blogspot.com/

Querido Diário Otário disse...

Adorei o texto *---*
Já está linkada e brigada pela visita ;D
Beijos!

Dih da Pâhzinha... disse...

Perfeição não existe, mas o preconceito é gigantesco!!!

http://www.avidanobeco.com/

rcazais disse...

nossa!
sei bem o que é sofrer preconceito dentro de casa...
Passei por isso e não tem muito tempo.
Ótimo texto, vi minha história contada aqui!

Daniel Augusto disse...

cade meu blog linkado?

^^"

Priscilla Jequitibá disse...

essa "ela" é você? ou seria eu mesma, perseguida pela nao aceitação?
gostaria de publicar seu texto no meu blog, com a devida referencia ao seu blog, eu poderia?