terça-feira, 16 de setembro de 2008

Batom Vermelho

Somente uma manhã de verão na cidade paulistana, um dia normal.
Ela se levantou, deixou de lado os lençóis vestiu os chinelos e foi ao banheiro.
Ao passar pela frente do espelho, ela se deparou com a imagem de uma pessoa ao qual ela desconhecia a origem. Bastou passar a mão sobre sua testa para perceber que se tratava de sua face refletida na parede por meio de um espelho.
Ela percebeu como havia mudado, seus lábios haviam se tornado mais carnudos, seu rosto afinado e seu corpo havia tomado forma. Ela não era mais a mesma.
Seu susto fora tão grande que suas pernas amoleceram por alguns segundos. Ao se recompor, ela sentiu uma enorme nostalgia de sua infância, onde ela poderia correr descalça pela grama sem se preocupar com as unhas de seus pés. Ela se lembrou das promessas que fazia para as estrelas, que seria uma mulher independente, sem precisar dar ouvidos para as palavras jogadas ao vento. Ela olhou em sua volta e achou patética a cena de chorar sentada ao vaso do banheiro choramingando pela vida que não havia planejado.
Novamente, ela se olhou no espelho e enxergou uma mulher que deseja sair e correr atrás da tão sonhada independência. Ela decidiu não se precipitar e aproveitar a juventude que tem, assim mesmo: dependendo de seus pais mas aprendendo e treinando sua independência futura.
Ela abriu a gaveta do gabinete do banheiro, passou aquele ousado batom vermelho, trocou de roupa e escondeu seus olhos por um par de óculos escuros. Pegou seus fones de ouvido e foi de encontro à sua tão sonhada liberdade.

5 comentários:

Murilo Barbelli disse...

"tão sonhada liberdade"
tenho visto bastante essa expressão por ai..

o que ela quer dizer pra você, exatamente?

BlacK SnaKe disse...

nossa interessante isso q vc escreveu hein.. parece bem tipico tbem de garotas adolescentes do estilo rebelde, ansiosas para completarem 18 anos e cairem no mundo a fora!!!

Anne Dayse disse...

Nossa, vc escreve muito bem parabénss. Que horror pegarem teus textos, isso é plágio e é crimeee, às vezes as pessoas não sabem disso, mas não deixam de estar cometendo o crime.
parabénss, tens um dom muito lindo

Querido Diário Otário disse...

Liberdade: eu corro atrás dela (L³

Adorei!

MADE IN LIBERDADE disse...

tem um prêmio pra vc lá no meu blog...