sábado, 6 de setembro de 2008

Dama da Morte


Entre seus olhos furiosos e sua feição amorosa, és tu tão bela querida Morte.

Seu sorrisome atrai, seus longos cabelos me encantam e sua pele macia me convida.

És tu, dama da paz, que me levará numa barca de esperança ao lugar que tanto espero.

És tu bela dama, que me levará a quem me deixou neste mundo dominado pelo egoísmo.

És tu rainha do início que me levará de volta d'onde eu vim, d'onde formei meus sonhos, na esperança que se realizassem neste lugar farto de cores eufemistas que tentam me iludir. Mas já abri meus olhos.

Quero voltar, dama de negro, ao seu lado, d'onde essa criatura não deveria ter saído.

5 comentários:

Gleh Erika! disse...

Achei bonit e triste também ...

Paulo disse...

texto sombrio ;s

Jéssica Mendes disse...

Desculpa a demora para responder o comentário... Muito obrigada!

E muito bom esse último texto, parabéns, guria! ^^

Abraço!

Querido Diário Otário disse...

Forte e autêntico. Gosto dos teus textos.

Beijos'

Paulo disse...

te presentiei com um selo ;)